Maker Day Brasil – 2020 [Edição Mão-na-Massa e Mão-no-Mouse]

whatsapp-image-2020-11-24-at-17-34-38Pandemia e relaxamento podem ser antagônicos. Mas no último dia 26 de setembro o grupo de pessoas que participou da sessão de criação de personagem com o super Pedro Sangeon [o Gurulino] provavelmente dormiu bem mais relaxado.

Guru nos conduziu em uma viagem que misturou exercícios de respiração,  consciência corporal, desenho e imaginação que foram deliciosamente abrindo o nosso criativo. Muitos podem dizer como eu que não sabem desenhar. Neste sentido, a experiência foi libertadora para todos que pensam como eu. Acredito, somente agora,  no que o Guru nos disse:  Pessoas dizem que não desenham  porque não praticam e não desenvolvem seu repertório, sua capacidade.

A oficina que o Guru desenhou para o Maker Day 2020 é rica em muitas formas. Ele nos convenceu a desapegar do belo, olhar diferentes fontes e referências. E, para mim, uma professora de linguagem, a parte mais bela: ele pede que os participantes busquem palavras, frases, contextos em livros! Desenhamos e nos conectamos com nós mesmos para desenhar um personagem. Claro, que ter parte da equipe do Thomas Maker e convidados mega especiais na call aqueceu a sessão pois tinha a parte humana. No digital, a conexão humana é ainda mais importante. Uma sequência de aprendizados  este ano nos ajudou a pensar em como podíamos ajudar Guru a conduzir a parte mais gostosa da sessão: ver os desenhos de todos que participaram juntos em um painel colaborativo e coletivo. Rir, rir de si, rir dos rabiscos, das situações.

Para nós, a conexão com o maker na educação é instantânea: Usar o que se tem: papel e lápis; Achar oportunidade: criar experiências sensoriais, mágicas, leves, e muito enriquecedoras baseado em vasto e sempre crescente repertório.

Ah, e isso tudo se conectou com outra iniciativa saindo do forno  é instantânea. Acreditamos tanto no conceito de criar repertório que convidamos Carol Sanches para bater um papo conosco exatamente sobre esse tema em um de nossos Podcasts. Aliás ela expande esse tema e fala de muito mais coisas interessantes na Escola de Desaprendizagens.

Como não amar?

whatsapp-image-2020-11-24-at-17-47-02Máquina contra o Covid

Uma das grandes vantagens de se ter um polo de inovação em uma escola, é que pessoas inspiram umas às outras e a cultura inovadora se solidifica. Projetos e ideias são ressignificadas e enriquecidas a medida que pessoas se conectam e traduzem conceitos para sua realidade. Podemos observar a beleza contagiante do Movimento do Fazer na Casa Thomas Jefferson e como a Certificação de Educador Maker [CEM] gera impacto na nossa própria comunidade. Este ano, o Pedro Rabay fez todo o curso e podemos perceber o progresso e amadurecimento nele. Foi com muita alegria que vimos o Pedro se juntar à idealizadora do FENOMENAL curso Bilingue da CTJ – Bilingual Adventure, Denise De Felice.

Os dois juntos conduziram uma experiência online que trouxe a delicadeza do contato humano para dentro da experiencia. Alternando entre dicas maravilhosas de como montar sua máquina do Nada, conversas sobre a importância de ser resiliente e falas com alunos que estavam produzindo suas máquinas de casa, a narrativa  foi alegre e muito divertida.  E melhor, deixamos registrado super dicas de como montar sua máquina também. Assista, chame as crianças e comece a bagunça por ai também. Os exemplos no painel abaixo, já dá uma amostra grátis de como foi animada a coisa por aqui.

Criado com o Padlet

Leave a Reply