Aprendendo a programar

Você já foi surpreendido pela rapidez com que uma criança aprende como usar um tablet ou celular? No vídeo acima, uma menina muito jovem, parece já ter compreendido muito. O que ela faz tão bem ilustra o que Seymour Papert e Paulo Freire dizem quando eles mencionam a importância de libertar o potencial de aprendizagem latente dos alunos ao proporcionar  ambientes onde suas paixões e interesses prosperem. As verdadeiras razões para defender o uso de computadores nas escolas não são tecnocêntricas. Na verdade, as verdadeiras razões são realmente práticas. Meu filho, por exemplo, adorava o jogo Minecraft, e ele aprendeu a fazer coisas maravilhosas dentro do jogo que tinham valor para a sua comunidade. Ele aprendeu a gravar sua tela, editar, e fazer um blog colaborativo para compartilhar suas idéias. Sua construção do conhecimento aconteceu muito rapidamente e ele aprendeu sozinho, publicou e compartilhou seu conteúdo. Eu simplesmente não vejo o mesmo acontecendo quando se trata da escola. Outra coisa a considerar é que ele também aprendeu sobre a mineração, química e até mesmo física. Será que estamos às vezes privando os alunos da diversão por trás da aprendizagem quando lhes pedimos para se sentar em silêncio e ouvir? Será que eles realmente internalizam o conteudo ou ficam se perguntando quando eles vao usar toda aquela informacao? Eu estava contando a um amigo sobre escolas nos EUA, Austrália e Inglaterra que ensinam as crianças a programar, e ela me fez a seguinte pergunta:

Será que todas as crianças se tornam programadores?

Para mim, aprender a programar é aprender a pensar de uma maneira nova e comecar a aprender como controlar o computador. Hoje em dia, a codificação é para todos, e ensina a criatividade, cooperação e persistência. Se você se interessa por esse assunto e gostaria de explorer alguns aplicativos feitos para crianças e jovens, explore a imagem abaixo.

Leave a Reply